O Teatro Polonês “Polski Teatr” integra a programação da Casa da Cultura Polônia Brasil em comemoração à independência da Polônia.

 

(Arte e Criação: Dulce Osinski e Everly Giller Diagramação: Angelo Osinski)

(Arte e Criação: Dulce Osinski e Everly Giller / Diagramação: Angelo Osinski)

 

Ao longo de todo ano a Casa da Cultura Polônia Brasil, com sede na capital paranaense, realizou diversas atividades culturais e não poderia ser diferente em uma data tão representativa na qual o povo polonês comemora sua independência. Por isso, a Casa da Cultura Polônia Brasil juntamente com o Consulado Geral da Polônia em Curitiba e apoiadores, em um esforço conjunto, realizam ao longo do mês de novembro e inicio de dezembro algumas atividades em sua sede, entre as quais a abertura da exposição “Polski Teatr” sobre o Teatro Polonês e seus ícones.

Com curadoria de Dulce Osinski e Everly Giller, o projeto teve inicio quando artistas associados e membros da diretoria da Casa da Cultura Polônia Brasil, juntamente com a presidente da instituição, Sra. Schirlei M. Freder, souberam que o parlamento da República da Polônia havia declarado 2015 como o Ano do Teatro polonês em comemoração aos 250 anos de existência do teatro público na Polônia, o que ocorreu por meio da fundação do Teatro Nacional de Varsóvia, o quarto mais antigo criado na Europa, além disso, neste ano também se comemora os 130 anos de nascimento de Stanisław Ignacy Witkiewicz, conhecido como “Witkacy”, e os 100 anos de nascimento de Tadeusz Kantor, ambos artistas e dramaturgos. Desta forma e com tantas efemérides importantes não haveria melhor ocasião para apresentar à comunidade polono-brasileira e interessados na cultura polonesa um pouco mais sobre o Polski Teatr, do que ao longo do mês de novembro.

Atuando como comentarista da realidade polonesa, o teatro na Polônia tem desempenhado, ao longo de sua trajetória, um importante papel social e cultural. Com propostas ousadas e por vezes revolucionárias, característica peculiar às muitas linguagens artísticas de origem polonesa, o teatro polonês influenciou o panorama cênico mundial, seja do ponto de vista estético ou conceitual. Com raízes no período medieval, então com forte caráter religioso, o teatro polonês começa a mudar já no Renascimento, período onde o mecenato surge trazendo novas possibilidades às artes cênicas. Do teatro secular em latim, com origem na Academia de Cracóvia, ao teatro falado em polonês, o Polski Teatr se transforma e utiliza os usos e costumes da sociedade polonesa como tema e com isso passa a ser bastante apreciado.

Num salto na cronologia do teatro, que você poderá conhecer em detalhes visitando essa exposição inédita no Brasil, destacamos que ao longo do século XX, o teatro polonês sofreu as consequências de eventos dramáticos como as duas grandes guerras e as diversas lutas pela liberdade e soberania do país, decorrentes da perda de autonomia política em períodos de dominação alemã ou soviética. As adversidades sofridas nos diferentes períodos históricos resultaram numa considerável variedade de manifestações teatrais de qualidade, muitas delas provenientes de movimentos clandestinos, os quais resultaram não raro no rompimento de convenções e estereótipos.

Nomes como Józef Bielawski (1739-1809), Wojciech Bogusławski (1757-1829), Aleksander Fredro (1793-1876), Stanisław Wyspiański (1869-1907), Leon Schiller (1887-1954), Stanisław Ignacy Witkiewicz, ou Witkacy (1885-1939), Sławomir Mrożek (1930-2013), Tadeusz Różewicz (1921-2014), Jerzy Marian Grotowski (1933-1999), Tadeusz Kantor (1915-1990), Kazimierz Dejmek (1924-2002), Józef Szajna (1922-2008), Adam Hanuszkiewicz (1924-2011), Jerzy Grzegorzewski (1939-2005), Henryk Tomaszewski (1919-2001), Jerzy Jarocki (1929-2012), Krystian Lupa (1943- ), Grzegorz Jarzyna (1968- ), Krzystof Warlikowski (1962- ) e Agnieszka Glińska (1968- ), fazem parte da trajetória do Polski Teatr, com destaque para Tadeusz Morozowicz (1900-1982), que após uma primeira visita ao Brasil em 1926, quando atuava como coreógrafo e solista junto ao Teatro Lírico de Milão, voltou ao país logo depois, vindo a se estabelecer em Curitiba. Apoiado pela Sociedade Polonesa da cidade, fundou o Grupo de Teatro Amador (ZAZ), que funcionou até o decreto de nacionalização de Getúlio Vargas, em 1938, o qual proibiu qualquer manifestação em língua estrangeira e posteriormente, em 1927, fundou o Ballet Thalia e no ano seguinte, o Grupo Folclórico Polonês do Paraná. A participação ativa no movimento artístico e cultural paranaense, seja com projetos voltados ao público de poloneses e descentes, seja nas atividades de dança para o público em geral, perdurou até a sua morte, na década de 1980.

O contexto de guerra trouxe também ao Brasil em 1941 o polonês (1908-1978). Considerado um dos fundadores do teatro brasileiro moderno e trazendo consigo uma bagagem sólida de formação, a qual incluía participação em diversos projetos teatrais no contexto polonês, Zimba, como ficou carinhosamente conhecido pelos brasileiros, integrou-se ao meio cultural e teatral do Rio de Janeiro desde sua chegada. Mesmo sem ter conhecimento inicialmente do idioma português, uniu-se aos artistas da companhia amadora “Os Comediantes”, aceitando o convite para dirigir algumas peças. A montagem em 1943 de “Vestido de Noiva”, de autoria de Nelson Rodrigues, marcou época por introduzir a noção do diretor de teatro como aquele que concebe a cena esteticamente, substituindo a ideia do diretor como ensaiador, como era comum até então nos meios brasileiros. Dedicando-se ao repertório de língua portuguesa, foi responsável por levar à Polônia, na década de 1960, obras de autoria de Nelson Rodrigues e Jorge Amado.

A exposição Polski Teatr / Teatro Polonês que foi aberta ao público no dia 13/11/15 e ficará em exibição por um mês é uma realização da Casa da Cultura Polônia Brasil e do Consulado Geral da Polônia em Curitiba, conta com o apoio da Sociedade Polono-Brasileira Tadeusz Kosciuszko, Braspol e Sociedade Polono-Brasileira Marechal Jozef Pilsudski. Com reprodução de fotos e documentos esta exposição é uma excelente oportunidade para conhecer um pouco mais sobre o teatro polonês no mundo, com um recorte especial para a contribuição do povo polonês, através de seus imigrantes, para o teatro brasileiro e seus desdobramentos no Paraná.

 

SERVIÇO

Exposição: Polski Teatr / Teatro Polonês

Local: Casa da Cultura Polônia Brasil

Rua Ébano Pereira, 502 – Centro – Curitiba / PR

Período expositivo: de 13 de novembro a 11 de dezembro de 2015

Entrada: Gratuita

Classificação: Aberto a todos os públicos

 

Palestra: Aspectos do Teatro Polonês

(com professor Marcelo Paiva de Souza e Aleksandra Pluta)

Local: Casa da Cultura Polônia Brasil

Rua Ébano Pereira, 502 – Centro – Curitiba / PR

Data: 02 de dezembro de 2015 às 18h30

Entrada: Gratuita

 

Informações e horário de visitação: contato@poloniabrasil.org.br

ou pelo telefone (41) 3088-00708

www.poloniabrasil.org.br – www.facebook.com/ccpoloniabrasil